Publicidade
Conduza seu carro com paciência

Dirigir um automóvel, hoje em dia, nas ruas de nossa querida Maceió, tornou-se um teste de paciência. As ruas são as mesmas do meu tempo de menino, com poucas opções de desvio para você chegar mais rápido onde pretende. E o volume de carros, caminhões, motos, ônibus e até bicicletas é impressionante. A cada mês esse número é maior, enchendo nossas apertadas ruas de buzinas e motoristas estressados. Levamos um tempão para ir de um bairro a outro. E se encontrarmos pelo caminho passeatas dos sem-terra ou dos funcionários públicos em greve, aí, então, a situação fica de enlouquecer. Haja paciência! Os nervos dos motoristas e das motoristas ficam à flor da pele: compromissos assumidos e não cumpridos, filhos esperando ansiosos na porta do colégio, pacientes esperando pelo médico que não chega. E por aí vai.

Diariamente o condutor do seu carro enfrenta uma verdadeira guerra de nervos, encontrando engarrafamentos gigantescos, discussões acaloradas porque quase batia no outro, buzinas sem motivo como se o outro não andasse porque não quisesse. Esse quadro preocupa boa parte da população que não vê solução imediata para o problema. E como será daqui a apenas 3 anos? Levaremos tempo, muito tempo mesmo para chegarmos ao nosso destino. Assim, torna-se difícil você escapar dessa agitação urbana. Só vejo uma solução: você acionar o seu sinal vermelho e brecar o estresse.

O que acontece com o corpo quando você fica tenso ao volante? A adrenalina fica acelerada e, diante de uma intranquilidade, de uma batida leve, de uma discussão, de uma espera prolongada no transito, as glândulas suprarrenais fazem jorrar a adrenalina, hormônio que provoca as reações que fazem parte do estresse: taquicardias, suores frios, boca seca etc. Com a descarga hormonal as pupilas se dilatam, os ombros se levantam e a articulação da mandíbula (aquela da mordida) fica travada. Surgem dores na nuca e na coluna. O motorista fica, então, mais ansioso, e tenta fugir do sufoco. Não consegue e entra em pânico muitas vezes, abrindo a porta do carro e respirando bem fundo enquanto a fila se alonga. 

Portanto, é preciso mais do que nunca que você se programe para sair mais cedo de casa e use a paciência mais do que nunca, pois já houve quem dissesse que a paciência é a mais heroica das virtudes. Nem todos a possuem, somente aqueles que conseguem vencer a si mesmo. Nossa vida é um constante desafio à paciência e só devagar, conquistando cada minuto, é que vamos conseguindo vitórias.

A vida se constrói na caminhada. Quando os problemas atingirem a sua mente lembre-se de que o seu coração se esvazia, empobrece e definha também. 

Ande no seu carro ouvindo uma boa música e tente relaxar caso não consiga solucionar o problema com rapidez. A sabedoria está em termos paciência, calma, para dar solução aos fatos que vão acontecendo.

Aproveito este espaço para apresentar a minha imensa saudade pela partida para a eternidade de dois caríssimos amigos: Lincoln Cavalcante e Vladimir Calheiros, ambos notáveis entusiastas pela cultura e pelo progresso de Alagoas, deixando marcas inesquecíveis de sua passagem por nossa terra alagoana. Que eles descansem na paz do Senhor.

Milton Hênio, médico, é membro das academias de Medicina e de Letras e do IHGAL.

Publicidade
TWITTER
@colunach

 
Busca
Redes sociais
@diariodopoder
© 1998 - 2018 - Todos os direitos reservados