Publicidade
26 de Junho de 2017
Tão logo encerrou a visita oficial de Michel Temer a Oslo, o governo da Noruega divulgou nota admitindo que não havia confirmado dados nos quais se baseou para anunciar o corte das doações ao Brasil para ações contra o desmatamento. Foi o ministro do Meio Ambiente da Noruega quem anunciou o corte dos repasses para US$35 milhões (equivalentes a R$117 milhões) ao ano. E a primeira-ministra Erna Solberg vai enfrentar as urnas na disputa pela reeleição, em setembro.
Os dados citados pela Noruega são do Instituto de Pesquisa Ambiental da Amazônia, ONG integrada por Marina Silva (Rede) e vários petistas.
A ONG que falou mal do Brasil, provocando a reação norueguesa, embolsou nada menos que R$25,4 milhões do Fundo Amazônia.
Apesar da boca dura do governo de Oslo, os US$110 milhões anuais da Noruega representam menos de 20% do total do Fundo Amazônia.
O afobado ministro do Clima, Vidar Helgesen, disse que “as regras do fundo forçam o corte”, mas não conferiu os dados de desmatamento.
Publicidade
Produtores de álcool de cana de açúcar do Nordeste enfrentam graves dificuldades para pagar as contas, em razão de decisões desastradas do governo. Poucas foram tão cruéis quanto a da Câmara de Comércio Exterior (Camex), que autorizou a importação do álcool à base de milho dos Estados Unidos (poluente e de pior qualidade) e reduziu para 0% a tarifa inicial de importação de 20%. A Camex condenou os produtores de álcool do Nordeste à falência. Eles decidiram agora apelar à Justiça.
Só entre janeiro e abril deste ano, o Brasil gastou US$364 milhões (R$1 bilhão e 220 milhões) para importar álcool de milho dos EUA.
Em 2014, o Brasil importou – entre janeiro e abril – 275 milhões de litros de álcool. No mesmo período de 2017, foram 787 milhões.
Ao contrário do produto brasileiro, o álcool de milho é altamente subsidiado: recebe US$19 bilhões do governo dos EUA todos os anos.
A Justiça Eleitoral, invenção brasileira, custa ao contribuinte R$4,4 bilhões ao ano somente com pessoal, incluindo aposentadorias. É o mesmo custo de todo o pessoal do Ministério Público da União.
A Comissão de Finanças e Tributação da Câmara aprovou um projeto do Tribunal Superior Eleitoral criando 370 cargos no Tribunal Regional Eleitoral (TRE) de São Paulo, sendo 121 cargos em comissão.
A proposta de reforma trabalhista será apreciada pela comissão de Constituição e Justiça do Senado às 10h desta quarta-feira (28). Na véspera, haverá duas audiências públicas sobre o tema.
O Exército Brasileiro já extinguiu a função, mas a Polícia Militar do DF, apenas uma força auxiliar, não abre mão: abriu concurso para preencher 18 vagas de soldado especialista corneteiro.
Em defesa do acordo que fez a turma da JBS se livrar de várias investigações, além dos crimes confessados em seus depoimentos, os advogados alegam que seus clientes “entregaram mais crimes”.
Cristovam Buarque lidera com 32,7% as intenções de voto para o Senado, em 2018, seguido por Rogério Rosso (PSD), com 20,8%, Érika Kokay (PT), 19,2%, e Paulo Octávio (DEM) com 17,1%. Esse cenário do Paraná Pesquisa não incluiu o campeão de votos Reguffe.
O senador Hélio José (PMDB), que votou contra a reforma trabalhista em comissão do Senado, aparece em último lugar na pesquisa que simulou os cenários para o Senado, no DF, em 2018: apenas 2,2%.
A prévia oficial (IPCA-15) da inflação de junho em 0,16%, além de ser a menor da última década no mês, reduziu o acumulado no 1º semestre a 1,62%, o menor desde o início de 94, antes do lançamento do Real.
Com tanto dinheiro fácil, sobretudo de bancos públicos, esse Joesley precisava comprar um gravador vagabundo?
Publicidade
busca
colunas anteriores

 
Busca
Redes sociais
@diariodopoder
© 1998 - 2017 - Todos os direitos reservados