Publicidade
05 de Dezembro de 2017
A expectativa do Planalto, como tem acontecido em votações cruciais, é de aprovação da reforma da Previdência, ainda que “aos 45 minutos do segundo tempo”, diz um ministro. São necessários 308 votos para aprovar a emenda na Câmara, e o governo contabiliza ao menos 320. Líderes acham que os deputados já se convenceram da necessidade da reforma. E eles confiam na memória curta do eleitor para aprová-la.
O jantar de domingo mudou a atitude do anfitrião, Rodrigo Maia, que só fazia conta de diminuir. Agora ele confia na aprovação da reforma.
Após jantar com o presidente Michel Temer e líderes aliados, Rodrigo Maia disse não fazer “contatem de votos”. Lorota, não faz outra coisa.
Aliados se empolgam com a disposição de Temer, em várias reuniões ao dia. Mal percebem que essa rotina produz nele efeitos terapêuticos.
Não é a primeira vez, nem a última: faz parte da rotina do Congresso aprovar matérias importantes no “apagar das luzes” do ano legislativo.
Publicidade
Após mais de cem registros de escorpiões, a Câmara dos Deputados decidiu dedetizar as áreas infestadas e também todas as suas dependências, a fim de exterminar os bichos antes que um servidor, visitante ou parlamentar venha a ser vitimado pelo seu veneno letal. Principal local alvo da dedetização, no Anexo 4 (conhecido por “Serra Pelada”) os insetos caíram sobre as pessoas até nos elevadores.
Na Câmara, a piada é que os escorpiões evitam o plenário porque ali a concorrência é forte. O local também será dedetizado no dia 16.
A dedetização da Câmara será feita em três fins de semana. A providência somente foi tomada após esta coluna divulgar o fato.
Escorpiões capturados não podem ser eliminados antes de a Zoonoses identificá-los para “registro estatístico”.
Só a Agência Nacional do Petróleo (ANP) não mandou ninguém à reunião, durante toda sexta (1º), de três ministérios com investidores (que representam R$500 bilhões) para discutir a cessão onerosa da Petrobras. A ANP anda perdida como cachorro em dia de mudança.
A expectativa no Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF4) é que o recurso contra a condenação de Lula a 9 anos e meio de cadeia seja julgada em 60 dias, talvez meados de fevereiro, março no máximo.
Para o líder do PSDB na Câmara, Ricardo Trípoli, é “falta de respeito” e “ingratidão” do governo federal não apoiar Alckmin para presidente. Ou seja, os tucanos acham que o governo não os merece, mas a turma de Michel Temer tem a obrigação cívica de apoiá-los em 2018.
Pesquisa Vox Populi no Maranhão aponta empate entre Flávio Dino (PCdoB), com 37%, e Roseana Sarney (PMDB), 35%, para o governo. No poder há 3 anos, Dino tem feito uma gestão considerada medíocre.
A Caixa distribuiu apenas R$4 bilhões em prêmios, até novembro, e promete distribuir mais R$220 milhões na virada do ano. E arrecadou com loterias R$12 bilhões. Precisa explicar o que fez com o resto.
A idade média de aposentadoria na Grécia era de 61,9 anos, e o país quebrou. Foi obrigado a aumentar a idade mínima para 67 anos. Lá, aposentadoria integral só após os 37 anos de contribuição.
O relator Carlos Marun (PMDB-MS) acha que, ao recusar convite da CPI da JBS, Rodrigo Janot “perde a oportunidade de esclarecer o acordo de delação premiadíssima com os irmãos Batista”. Ele apresentou requerimento transformando o convite em intimação.
O ministro Henrique Meirelles (Fazenda) previu para 2017 o “melhor Natal dos últimos anos”. Para ele, a recuperação do emprego já é uma realidade e será sentida de forma mais forte nas festas de fim de ano.
...governo não pode fazer comercial pela reforma da previdência, mas quem não quer perder privilégios faz propaganda contra o governo.
Publicidade
busca
colunas anteriores

 
Busca
Redes sociais
@diariodopoder
© 1998 - 2017 - Todos os direitos reservados