Publicidade
07 de Janeiro de 2018
Os presidentes das companhias aéreas participaram pessoalmente de reuniões a portas fechadas com o Ministério do Planejamento, no governo Dilma, para combinar a exclusão as agências de viagens e a compra direta de passagens aéreas, sem licitação, segundo denúncia da associação das agências de viagem no DF (Abav). As aéreas exigiram pagamento por cartão a fim de evitarem a “inadimplência”.
Contrariando o princípio constitucional da impessoalidade, as aéreas são o único setor fornecedor do governo pagos com cartão corporativo.
Pelas atas, participaram os presidentes Paulo Kakinoff (Gol), Claudia Sender (TAM), José Efromovich (Avianca) e David Neeleman (Azul).
O esquema no Ministério do Planejamento para favorecer as empresas aéreas faz lembrar o “clube de empreiteiras” na Lava Jato.
Ato administrativo da então ministra Mirian Belchior, considerado ilegal e inconstitucional, dispensou as empresas aéreas de licitação pública.
Publicidade
O Partido dos Trabalhadores (PT) jamais conseguiu repetir o sucesso da eleição de 2002, a primeira do ex-presidente Lula, quando foram eleitos 91 deputados federais petistas. Desde então, a bancada vem diminuindo a cada legislatura. Neste ano de 2018, por exemplo, o PT terá 57 deputados, cerca de 10% de toda a Câmara. E quase metade daquela bancada eleita no rastro da primeira eleição de Lula.
O PT tinha 68 deputados, eleitos em 2014, na mesma disputa que reelegeu a ex-presidente Dilma Rouseff.
A atual bancada do PT perdeu cerca de 16,2% dos deputados que elegeu, mesmo sem ter enfrentado uma eleição.
O PMDB, que indicou o vice do PT em 2014, perdeu 4 deputados (6,1%). Na eleição de 2010, o PT levou 86 cadeiras e o PMDB, 78.
À medida em que se aproxima a disputa presidencial, Jair Bolsonaro se aproxima do encontro com a realidade. A candidatura deve ter menos tempo do que a caricata campanha de Enéas, pelo Prona, em 1989.
Caso se mude para o PSL ou para o PEN (Patriota), Jair Bolsonaro (PSC-RJ) terá cerca de 0,3 segundo de tempo de TV, nos blocos de 30 segundos. E no máximo 12 segundos nos blocos de 12m30s.
O “dia de ódio” ou “dia de fúria” convocado pelo presidiário José Dirceu para Porto Alegre, dia 24, mostra que, para o PT, democracia só vale quando o partido vence e Justiça só é respeitada quando os absolve.
O PSDB de Aécio perdeu menos deputados desde a eleição de 2014, em relação ao PT. Foram 7 defecções, 13%. Em 2018, a Câmara dos Deputados terá a menor bancada tucana (47) desde 1990 (38).
No primeiro sorteio após a “Mega da Virada” que distribuiu mais de R$306 milhões, a Caixa Econômica anunciou que o “bolão acumulou” e pode pagar até R$ 4,5 milhões no fim de semana.
O ano novo começou com mais uma diminuição do medo do brasileiro de perder o emprego. Pesquisa da Confederação Nacional da Indústria (CNI), revelou queda de 2% no índice durante o mês de dezembro.
Com as constantes quedas nos juros, o cadastro positivo pode incluir 22 milhões de pessoas no mercado de crédito. “Isso deve injetar R$1,1 trilhão na economia”, diz o deputado Carlos Bezerra (PMDB-MT).
A Advocacia-Geral da União (AGU) publicou a 6ª edição da cartilha “Condutas Veladas aos Agentes Públicos Federais em Eleições”. Explica o passo a passo como o setor público deve se comportar.
...o livro sobre os bastidores da Casa Branca de Donald Trump mostra que as semelhanças com Dilma não param na cabeleira.
Publicidade
busca
colunas anteriores

 
Busca
Redes sociais
@diariodopoder
© 1998 - 2018 - Todos os direitos reservados