Publicidade
10 de Fevereiro de 2018
Após sucessivas derrotas na Justiça, que inclui a confirmação de sua condenação à cadeia no Tribunal Regional Federal da 4ª Região TRF-4, Lula virou motivo de preocupação para amigos mais próximos. Eles afirmam que o ex-presidente dá sinais de “abatimento severo”, num quadro que se aproxima da depressão, depois que se deu conta da sua prisão iminente pelos crimes de corrupção e lavagem de dinheiro.
Lula achava que seria “salvo” com a chegada do ministro aposentado Sepúlveda Pertence à sua defesa. Já desistiu dessa ideia.
Quando soube que o ministro Edson Fachin negou-lhe uma liminar que impedisse prisão, Lula oscilou da cólera, aos palavrões, ao desânimo.
Lula tem dito aos filhos e netos e a outros parentes mais próximos, que não será preso. Mas eles sabem que o ex-presidente está enganado.
Mesmo abatido, Lula telefonou ou atendeu ligações de aliados, estimulando “a resistência” e repetindo a lorota de ser inocente.
Publicidade
O presidente da OAB do Rio de Janeiro, Felipe Santa Cruz, deu um passo importante para se eleger presidente nacional da entidade: iniciou conversações com o ex-presidente da OAB-DF Ibaneis Rocha, que lançou candidatura há uma semana. Os dois se reuniram em campo neutro, São Paulo, no restaurante Amadeus. Saborearam uma moqueca e saíram do jantar sinalizando uma “solução pacífica”.
A desistência do vice-presidente da OAB nacional, Luiz Cláudio Chaves, até por falta de apoio, fez Ibaneis Rocha lançar-se à disputa.
No caso de aliança com Ibaneis Rocha, que eles ainda não confirmam, Felipe Santa Cruz pode enfrentar uma campanha sem adversários.
Preso sob a acusação de afanar R$300 milhões e já solto, o ex-secretário de Saúde de Sérgio Cabral, Sérgio Côrtes, carregava sacolas de compras no shopping Leblon. Até uma bolsa Louis Vuitton.
O PSB cansou de esperar o ministro aposentado do STF Joaquim Barbosa, que tinha prometido dizer até janeiro se seria candidato do partido a presidente. O PSB voltou a conversar com o PSDB.
O senador José Medeiros (PSD-MT) pediu a demissão da presidente do Ibama por estar “travando o Brasil”. Ele citou a obra da BR-242, liberadas pelo órgão estadual, mas engavetada no Ibama há oito anos.
Analistas apostam que o PT de Lula deve eleger um máximo de 30 deputados federais, em outubro próximo. A bancada do PT chegou a ter 96 deputados, no auge, mas acabou lipoaspirada pela corrupção.
Impressiona a perda de relevância de Renan Calheiros (MDB-AL). De vez em quando ele dá sinal de vida, provoca, alfineta o presidente para bajular Lula, mas ninguém se dá ao trabalho de responder.
Ao contrário de 2017, as receitas do governo federal estão indo de vento em popa este ano e já superou os R$ 300 bilhões apenas no mês de janeiro. Nesse ritmo, pode chegar ao fim do ano com R$ 3,6 trilhões.
Pedro Chaves, que trocou o PSC pelo PRB, se animou com a pesquisa Ranking, no Mato Grosso do Sul. É o 3º nas intenções de voto para o voltar ao Senado (14%), atrás de Nelsinho (31%) e Zeca do PT (18%).
O ditador Kim Jong-Un é esperto: permitiu atletas do seu país unidos aos vizinhos inimigos, nas Olimpíadas de Inverno, para evitar uma humilhante comparação de desempenho entre as duas Coreias.
Para os que alegam não haver rombo, o secretario de Previdência do Ministério da Fazenda, Marcelo Caetano, explicou que o déficit superou o valor de mercado da Petrobras e atingiu nível recorde: R$268 bilhões.
…bem que poderiam abrir uma pizzaria “Três Poderes”.
Publicidade
busca
colunas anteriores

 
Busca
Redes sociais
@diariodopoder
© 1998 - 2018 - Todos os direitos reservados