Publicidade
10 de Maio de 2017
A bancada do PMDB na Câmara bateu o martelo durante reunião na residência do líder do partido, deputado Baleia Rossi (SP): a executiva do partido será provocada a fechar questão a favor da reforma da Previdência. Para isso, será preciso recolher metade das assinaturas dos deputados federais para levar o pedido à executiva. Lideranças da Câmara querem que o assunto esteja definido até semana que vem.
O fechamento de questão obriga todos os deputados a votarem conforme a orientação do partido, sob pena até de expulsão.
A maioria dos deputados do PMDB defende a reforma da previdência, mas o partido avalia que não pode se dar ao luxo de perder um só voto.
Os deputados do PMDB favoráveis à aprovação da reforma garantem que haverá votos suficientes para o fechamento de questão.
O presidente nacional do PMDB, Romero Jucá (RR), evita declarações peremptórias de apoio ao fechamento de questão, mas espera por isso.
Publicidade
Do prefeito de Manaus, Arthur Virgílio (PSDB), ao senador Omar Aziz (PSD), todos no Amazonas desejam o lugar do ex-governador José Melo, cassado pelo Tribunal Superior Eleitoral, mas quem quiser o cargo terá de derrotar o senador Eduardo Braga (PMDB), que lidera pesquisas quando Amazonino Mendes não é incluído nelas. A campanha será tão curta quanto cara e difícil, em razão das distâncias, digamos, amazônicas entre os municípios. Isso desanima os políticos.
O eleito, na disputa pelo governo do Amazonas, poderá disputar a reeleição em 2018, após o curto primeiro mandato de um ano e meio.
O deputado Alfredo Nascimento (PR), o deputado Arthur Bisneto (PSDB) e Marcelo Ramos (SD) são cotados, no mínimo, para vice.
Sondado, o ex-candidato a prefeito de Manaus Marcelo Ramos (SD) declinou da chance de ser vice o de Amazonino Mendes.
O juiz federal Ricardo Augusto Soares Leite, da 10ª Vara do DF, definiu o Instituto Lula, que mandou fechar, como “local de encontro para a perpetração de vários ilícitos criminais”. Autêntico antro da corrupção.
O veterano presidente Michel Temer ironizou a hostilidade do senador Renan Calheiros (PMDB-AL), dias atrás: “Ele é de idas e vindas, quem sabe volta...”. Não deu outra: ontem, o “rebelde” voltou ao Planalto.
A foto do senador José Serra (SP) em rede social, ao lado de Karine Vital, presidente da União Nacional dos Estudantes (UNE), teve toda pinta de volta às origens. Serra presidiu a UNE nos anos de chumbo.
Carlos Marun (PMDB-MS), da comissão da Reforma da Previdência, promete levar ao plenário uma emenda para beneficiar, que absurdo, agentes penitenciários que tocaram o terror em Brasília.
O novo presidente da Funai, Franklimberg Ribeiro de Freitas, além de pertencer à etnia mura, é general. Quem já esteve na selva sabe que é o Exército, e não padres ou ONGs, que de fato cuida dos índios.
Rodrigo Maia transferiu para esta quarta-feira (10) a reunião do colégio de líderes, mas só com governistas, porque a petelhada passou a mão no dinheiro público para comprar passagens e se mandar para Curitiba.
Em 2009, o então presidente Lula admitiu ter pago viagens para sindicalistas com verba da Câmara, quando foi deputado nos anos 1980. “Não via problema” em fazer o contribuinte otário pagar a conta.
A Uber, terror dos taxistas, vai oferecer viagens de graça a todos que participarem da Corrida Graacc (Apoio a Adolescentes e Crianças com Câncer), cuja renda será toda revertida para o combate da doença.
... José Dirceu deve ter bronca da sogra: apesar dos protestos, escolheu ir para a casa dela, queimando o filme da senhora.
Publicidade
busca
colunas anteriores

 
Busca
Redes sociais
@diariodopoder
© 1998 - 2017 - Todos os direitos reservados