Publicidade
14 de Abril de 2018
O presidente da Câmara de Comércio dos Estados Unidos, Thomas J. Donohue, confirmou ao presidente Michel Temer nesta sexta (13), em Lima, que o seu país vai apoiar o ingresso do Brasil na OCDE, a Organização de Cooperação e Desenvolvimento Econômico. Donohue integrou a comitiva norte-americana na Cúpula das Américas, realizada no Peru. Mas ele também avisou a Temer: o processo está lento.
A OCDE é uma organização internacional com 35 países de economia mais importante, fundada em 1961.
Sobre as tarifas de aço e alumínio nos EUA, Donohue disse a Temer que o governo americano não pretende criar dificuldades para o Brasil.
Donohue admitiu que as importações brasileiras de carvão dos EUA são importantes e seriam afetadas caso o aço fosse sobretaxado.
Donohue adiantou para Michel Temer que o vice-presidente americano Mike Pence fará uma visita oficial ao Brasil “muito produtiva”.
Publicidade
O ministro Aloysio Nunes (Relações Exteriores), que recebeu em Lima um grupo de opositores ao regime de Nicolás Maduro, revelou que o Brasil reiterou ofertas de ajuda humanitária, mas a ditadura nem sequer responde. A situação venezuelana é dramática, com desemprego recorde, criminalidade crescente, desabastecimento e proliferação de doenças. Além de milhares de pontos percentuais de inflação.
A invasão venezuelana levou a Roraima até doenças erradicadas, por isso o governo estadual suplica ao STF controle efetivo da fronteira.
Os venezuelanos levaram a Aloysio Nunes, segundo contaram depois, que o projeto de Maduro é fazer do país uma colônia de Cuba.
A declaração do Brasil na reunião do Grupo de Lima, no Peru, fará referência ao regime Maduro, e será aberta a adesão de outros países.
O brasileiro Raul Schmidt, investigado na Lava Jato, foi preso ontem em Portugal, onde vive, por ordem da suprema corte, que revogou decisão do Tribunal da Relação (o STJ de lá) que apenas o obrigava a se apresentar rotineiramente à Justiça. Deve ser extraditado.
No STF, casuísmos são admitidos quando a interpretação da lei conflita com interesses políticos. Ou, no dizer do ministro Luís Roberto Barroso, “quando a lei chega a A, a T ou a L”. E a RC, faltou dizer.
Em setembro de 2014, o ministro Dias Toffoli ordenou a prisão imediata do ex-senador Luiz Estevão, condenado em segunda instância, e dois anos depois defendeu a mesma medida. Mudou de ideia no caso Lula.
Ex-ministro de Lula e Dilma, Aldo Rebelo não alimenta a expectativa de apoio do PT à sua candidatura presidencial. Em entrevista ao Diário do Poder, porém, disse que tem “respeito e gratidão” pelo ex-presidente.
O presidente Michel Temer convidou o embaixador Alexandre Parola, seu porta-voz, para presidir a estatal de comunicação social EBC, da TV Brasil. Em 1º de janeiro, Parola assumirá na OMC, em Genebra.
O deputado Laércio Oliveira, atual presidente da Fecomercio Sergipe, é candidato à presidência da Confederação Nacional do Comércio, após o atual presidente (no cargo há 38 anos) desistir da reeleição. O deputado propõe mandato de 4 anos e só uma reeleição na CNC.
Levantamento da XP Investimentos indica que, para mais da metade dos investidores que entrevistou, a eleição de Jair Bolsonaro (PSL) presidente terá efeitos negativos para o mercado financeiro.
As comissões da Câmara finalmente começaram a trabalhar, quatro meses depois do início do ano: aprovaram 28 pareceres em um dia. Mas a média é ridícula: um parecer para cada vinte deputados.
A curtíssima interinidade de Cármen Lúcia na Presidência da República só permitiu fazer umas fotos para guardar de lembrança.
Publicidade
busca
colunas anteriores

 
Busca
Redes sociais
@diariodopoder
© 1998 - 2018 - Todos os direitos reservados