Publicidade
15 de Maio de 2018
Levantamento Paraná Pesquisas sobre o perfil dos pré-candidatos procurados pelo eleitor revelou que 50,8% dos brasileiros não votarão em candidatos a deputado federal do PT. O nível de repúdio ao MDB é um pouco menor, mas a situação é de empate técnico: 49,5%. No caso do PSDB, o resultado tampouco é animador: 46,2% dos entrevistados declararam não pretender votar nos candidatos do partido, em outubro.
Para 39,4%, votar no PSDB depende de quem é o candidato. No MDB, esse percentual é 36%. Apenas 27,7% poderiam ganhar o voto no PT.
Curiosa coincidência: apenas 17,6% dizem que votarão em petistas e 17,6% afirmam que ser do PT eleva a chance de voto no candidato.
Para 26% dos eleitores, ter a simpatia de juízes e promotores ligados à Lava Jato aumenta as chances de votar em determinado candidato.
O Paraná Pesquisa entrevistou 2.002 eleitores em 154 municípios entre 27 de abril e 2 de maio. Pesquisa registrada sob o nº BR- 02853/18.
Publicidade
A Comissão de Defesa do Consumidor da Câmara cancelou a audiência pública desta terça (15) para discutir aumentos abusivos dos planos de saúde, além da criação descarada, pela Agência Nacional de Saúde (ANS), do sistema de “franquia”, semelhante a seguro de carro, para livrar os planos de despesas até determinado valor. Ninguém será obrigado a aderir à franquia, mas a ANS não impedirá que as operadoras, inescrupulosas, passem a oferecer apenas essa opção.
O usuário é quem vai pagar como particular, no sistema de franquia, exames e alguns procedimentos até o valor de R$3 mil até R$10 mil.
Na “franquia”, o usuário pagará como particular exames e consultas e terapias que representam 30% do total dos gastos das operadoras.
Pelo sistema de franquias, bolado no escondidinho das relações entre planos de saúde e ANS, mais uma vez o usuário sairá perdendo.
A pesquisa nacional CNT/MDA, divulgada nesta segunda-feira, 51% dos entrevistados classificaram como “justa” a prisão do ex-presidente Lula, petista condenado por corrupção e lavagem de dinheiro.
A soma dos índices de confiança em partidos (0,2%) e no Congresso (0,6%) não chega a 1%. O governo federal tem a confiança de 2,2%, seguido pela polícia (4%) e a imprensa (5%). Dados são da CNT/MDA.
A MP 826, na pautada semana, cria o cargo de Interventor Federal no Rio, além de 38 outros cargos comissionados e 28 funções gratificadas. Uma beleza. A boa notícia é que serão extintos até junho de 2019.
Nota enviada à imprensa por uma associação de empresas aéreas provocou estranhamento. Não pelas lorotas em defesa da cobrança criminosa pelo transporte de malas, mas porque não se chama “Anac”.
Após um período de tarifas civilizadas no trecho Brasília-Lisboa, a TAP aderiu à exploração das aéreas locais. Agora cobra até R$8 mil por assento “cachorrão”, como brasileiros chamam a classe econômica.
O governador do Maranhão, Flávio Dino (PCdoB), pediu em um evento partidário que “transformassem em votos” aplausos a ele. O ex-juiz Dino deveria saber que pedir votos antes de julho é proibido pela lei.
Ex-craque da seleção, Anderson Polga criticou a estranha ausência dos gremistas Arthur e Luan na lista do Tite, que justificou Taison por sua suposta “experiência” (apenas na fase de grupos) na Champions.
Está marcada na Câmara, nesta terça, a votação da MP 811, que muda regras para a venda do petróleo nos contratos de partilha do pré-sal. A União poderá receber valores e não apenas sua “cota” em barris.
A Câmara cancelou o debate sobre aumentos abusivos dos planos de saúde. Preferiu priorizar importantíssimo tema de quiropraxia.
Publicidade
busca
colunas anteriores

 
Busca
Redes sociais
@diariodopoder
© 1998 - 2018 - Todos os direitos reservados