Publicidade
19 de Maio de 2018
Investigadores ligados à Lava Jato suspeitam que os pagamentos de propina da TAM à senadora Gleisi Hoffmann (PT-PR) podem estar ligados à decisão do governo Dilma Rousseff que favoreceu empresas aéreas. Com a decisão do Ministério do Planejamento, cujo titular era seu marido Paulo Bernardo, o governo federal passou a fazer compra direta de passagens aéreas, dispensando as agências de viagem.
Segundo a Polícia Federal, Gleisi recebeu R$1,3 milhão em propinas. Somente a antiga TAM (hoje Latam) pagou R$ 345 mil.
O governo não economiza com a compra direta de passagens, mas as empresas aéreas economizam comissões às agências de viagem.
Desde a decisão do Planejamento, as empresas aéreas são os únicos fornecedores do governo pagos à vista, usando cartões corporativos.
Além da venda direta e do recebimento à vista, as aéreas nem precisam recolher na fonte o imposto de renda, CSLL e PIS/Cofins.
Publicidade
O Tribunal Regional do Trabalho da 10ª Região, de Brasília, pagou cachê ao médico Drauzio Varella, com dinheiro público, por palestra de 1 hora sobre “qualidade de vida” para magistrados do Trabalho, nesta sexta (18). Varela cobra R$70 mil, segundo empresas do ramo, mas fontes do TRT dizem que ele teria feito “pequeno desconto”. O TRT se esquivou de esclarecimentos, inclusive quanto a valores, alegando falta de tempo. O médico nada tem a explicar, apenas fez o seu trabalho.
TRT ainda liberou 30 lugares para servidores assistirem a palestra em pleno horário de trabalho, no auditório da Escola Judicial.
Em sua palestra sobre qualidade de vida, Dráuzio poderia dar dicas de como ganhar R$70 mil em apenas uma hora.
A Justiça do Trabalho é antiga cliente de Varela. Em 2015, o médico fez palestra similar em evento do Tribunal Superior do Trabalho (TST).
O sumiço de mais de 700 objetos dos palácios do Planalto e da Alvorada e da residência da Granja do Torto, verificado pelo TCU, mostra a gentalha que governou o Brasil na era Lula-Dilma.
José Dirceu foi recolhido à Papuda com a dignidade possível, nas circunstâncias. Bem diferente do chefe, Lula, que preferiu a presepada de esconder-se no sindicato dos metalúrgicos de São Bernardo.
Repercute entre lideranças do comércio reportagem devastadora do jornal Valor sobre a disputa pela sucessão na Confederação Nacional do Comércio (CNC). O candidato José Tadros é acusado até de nepotismo, mas, em vez de responder às denúncias, criticou o jornal.
Ciro Gomes, que só se refere a Renan Calheiros com palavras de baixo calão, já encara com “naturalidade” a aliança do PDT em Alagoas com o senador. Ciro autorizou o ex-governador Ronaldo Lessa a fazer “uma ponte” com o senador para garantir seu palanque no Estado.
Indagados sobre qual instituição é a mais confiável, a “Igreja” ganhou (40,1% dos entrevistados), segundo a CNT/MDA. Mas o 2º colocado é “Nenhum” (18%), à frente da Justiça, imprensa, polícia, governo etc.
MDB, PT, PSDB, PP e PSD receberam R$403,4 milhões para financiar as campanhas dos seus candidatos a deputados federais, em 2014. Os cinco partidos somavam 50,8% da Câmara, na época. Hoje são 47,9%.
Secretário de Comunicação da Câmara, Márcio Marinho (PRB-BA) lança quarta (23) a “Frente Parlamentar de Enfrentamento às Fake News”, de políticos que finalmente tentam separar verdade de mentira.
Entre as quase 22 mil aeronaves cadastradas no Registro Aeronáutico Brasileiro, 46% são de “serviço aéreo privado (TPP)”, a maior parte agrícola. Aviões comerciais são apenas 3% das aeronaves: 650.
...falta muito pouco para a reunião da “turma de 2003” da era Lula em Curitiba.
Publicidade
busca
colunas anteriores

 
Busca
Redes sociais
@diariodopoder
© 1998 - 2018 - Todos os direitos reservados