Publicidade
20 de Maio de 2018
Não passa de R$84 milhões, este ano, o faturamento antes bilionário das empreiteiras enroladas na roubalheira à Petrobras, revelada pela operação Lava Jato, junto ao governo federal. Neste mesmo período de 2016, durante o governo de Dilma Rousseff (PT), as empreiteiras que roubaram o País receberam mais de oito vezes mais: já haviam recebido R$ 662 milhões nos cinco primeiros meses do ano.
Só Andrade Gutierrez, Camargo Corrêa, OAS e Mendes Júnior ainda não receberam um só centavo, segundo o Portal da Transparência.
A Odebrecht, que teve 70 executivos com acordos de delação sobre maracutaias da empresa, faturou R$ 56,2 milhões, 67% do total.
Entre 2012 e 2014, auge do relacionamento com o PT, a Odebrecht faturou mais de R$ 3 bilhões em contratos com o governo federal.
Outras de bolso cheio: Queiroz Galvão - R$ 11 milhões, Constran - R$9 milhões, Galvão Engenharia - R$6 milhões e Engevix - R$1,6 milhão.
Publicidade
Apesar de 2018 ser marcado pela falta de trabalho a divulgar, os deputados federais solicitaram e receberam da Câmara ressarcimento de R$18 milhões em razão de despesas com “divulgação da atividade parlamentar”. O valor corresponde a quase um terço (28%) dos R$62,6 milhões do “cotão”, que é uma espécie de cartão de débito que cada deputado ganha para gastar à vontade, até o limite R$45 mil por mês.
O campeão nos gastos com “divulgação de atividades” é Rubens Pereira Jr (PCdoB-MA): torrou R$139,1 mil somente este ano.
Deputados federais do DF têm limite menor para obter ressarcimento. Mesmo assim, é um “cartão de débito” com R$30,7 mil por mês.
Os deputados de Roraima, em razão da distância, têm o maior valor do “cotão parlamentar” para gastar à vontade R$45,6 mil mensais.
A imagem do José Dirceu no camburão roubou a cena, expondo a decadência petista. Ao menos o ex-ministro não fez pose de mártir: baixou o punho cerrado e entrou para a História pela porta dos fundos.
O deputado José Carlos Aleluia (DEM-BA) ficou indignado com a carta de governadores “de esquerda” contrários ao projeto de reestruturação da estatal Eletrobrás, do qual é relator. Coisa típica de quem não leu e não gostou. “Isso nem é política, é politicagem”, disparou o baiano.
Após Nicolás Maduro afirmar que não há crise migratória em seu país, os governos do Grupo de Lima (Brasil e mais 13) divulgaram nota que, em resumo, chama o tirano venezuelano de maluco irresponsável.
Brasileiros amam falar mal do Brasil, não quem nos visitou em 2017: 88,3% dos 6,5 milhões de turistas estrangeiros disseram que o Brasil superou ou atendeu as expectativas, segundo pesquisa da Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe) para o Ministério do Turismo.
A notícia “menos ruim” da pesquisa CNT/MDA para o presidente Michel Temer é o viés de queda da rejeição do governo, desde setembro de 2017. A má notícia é que a rejeição caiu só dois pontos percentuais.
Após dividir o último café da manhã de José Dirceu em liberdade, sexta, o deputado Chico Vigilante (PT-DF) disse que no Brasil “só petista vai preso”. Certamente se referia a Eduardo Cunha, Sérgio Cabral e outros corruptos que, como o petista Lula, estão em cana.
O PT conta com a “tradição” do Tribunal Superior Eleitoral de só haver rejeitado três candidaturas a presidente, desde 2002. Mas até 2010 não existia Lei da Ficha Limpa, aquela que torna Lula inelegível.
Mesmo sem a definição de partidos maiores, como MDB e PT, a lista de pré-candidatos a presidente da República já é a maior da História. Até sexta, somavam 28, mas apenas dois ou três são pra valer.
...noves fora Corpus Christi no fim do mês e o início da Copa em junho, a eleição está a apenas algumas semanas de distância.
Publicidade
busca
colunas anteriores

 
Busca
Redes sociais
@diariodopoder
© 1998 - 2018 - Todos os direitos reservados