Publicidade
26 de Agosto de 2017
Apesar de todas as provas reveladas pela operação Lava Jato, levando à condenação de dezenas de executivos das maiores empreiteiras do Brasil, nenhuma delas foi considerada inidônea pelo governo. Apenas duas, Engevix e Galvão Engenharia, figuram no Cadastro Nacional de Empresas Inidôneas e Suspensas (CEIS), mas por outras fraudes cometidas em licitações alheias à roubalheira perpetrada na Petrobras.
Empreiteiras da Lava Jato como Odebrecht e Andrade Gutierrez firmaram acordos de leniência com a Justiça para se livrar de punição.
A Galvão Engenharia foi suspensa até dezembro de 2018 de contratar com o governo por irregularidades na execução de obras da Eletrosul.
A Engevix, vendida por R$2 após a Lava Jato, está impedida de atuar para o governo devido a irregularidades em Furnas e na Eletrosul.
Nem mesmo a Odebrecht, com quase uma centena de confissões de culpa e bilhões obtidos de maneira criminosa, foi considerada inidônea.
Publicidade
Produtores de etanol do Nordeste denunciaram à Câmara de Comércio Exterior, sexta (25), manobra lesiva ao País de distribuidoras, inclusive estrangeiras, pedindo licença de importação de álcool podre americano (muito poluente, à base de milho), antes de o Diário Oficial publicar a resolução dos ministros da Camex, quarta (23), fixando taxa de 20% de importação após 600 milhões de litros com 0% de imposto. A manobra vai parar na Justiça, inclusive com acusação de crime de lesa-pátria.
As distribuidoras, algumas produtoras no Sudeste, pretendem inundar o País com álcool podre com imposto zero. E quebrar rivais nordestinos.
Só uma distribuidora – Raizen, controlada pela americana Shell e a brasileira Cosen – pediu licença para importar 400 milhões de litros.
A manobra das distribuidoras foi denunciada pelos presidentes de sindicatos de produtores (Sindaçúcar) de todo o Nordeste.
Lula não sente apenas ódio por jornalistas, ele os teme. Na contestada passagem por Alagoas, fugiu de entrevistas como o diabo da cruz. Só falou com a rádio Gazeta mas à distância, em “segurança”, ao telefone.
Lula tem tanto medo de comunicador que o locutor dos comícios, em Maceió, foi do MST. Deve temer que um profissional, sincero, diga ao microfone o que pensa do ex-presidente condenado por roubar o País.
Novos cálculos da Receita Federal dão conta de que a grana faturada com a compra e venda de dólares e ações pela JBS/J&F, no dia após a divulgação da delação de Joesley & cia., passa dos R$ 2 bilhões.
Amado pelos portugueses, o presidente Marcelo Rebelo de Sousa foi flagrado quinta (24) à noite na fila do caixa eletrônico pagando contas. Discretamente, sem seguranças e sem ser incomodado. O flagrante, em vídeo, foi feito por um cliente do restaurante “Manolo”, em Cascais.
O governo lançou o Painel Estatístico de Pessoal, sobre cargos e gastos. Por isso dá para constatar que nunca o governo empregou tanto: são 656.298 servidores a um custo de R$ 29,54 bilhões por mês.
O chanceler Aloysio Nunes emocionou o advogado Fernando Tibúrcio, herói da defesa de perseguidos na ditaduras Maduro, Morales etc. Ao receber a procuradora-geral cassada (e caçada) Luisa Ortega, Nunes o chamou de “verdadeiro embaixador informal do Brasil na Venezuela”.
O deputado federal que ocupar o cargo de líder ou vice-líder recebe um adicional de R$ 1.353,04 por mês, além do salário de R$ 33.763,00, do “cotão” de até R$45 mil em “ressarcimento de despesas”. Todas.
Para Ivan Valente (PSOL-SP), seriam ilegais sorteios e bingos para arrecadar recursos nas campanhas, proposto por Vicente Cândido (PT-SP): “Permitiria lavagem de dinheiro e estabeleceria a jogatina”.
...nada mais malandro que chamar auxílios e bônus de “rendimentos”, para burlar o limite do teto salarial dos servidores públicos.
Publicidade
busca
colunas anteriores

 
Busca
Redes sociais
@diariodopoder
© 1998 - 2017 - Todos os direitos reservados